30/08/2017 11:03

Uso do GPS

NASA fecha parceria com Brasil para lançamento



            Hoje o GPS é imprescindível para o funcionamento do mundo da maneira que conhecemos. Desde o uso pessoal de aplicativos (Tinder, Uber, iFood, Pokémon Go etc.) até a navegação comercial e militar. O Sistema de Posicionamento Global permite que todo e qualquer fenômeno possa ser localizado com certa precisão no espaço terrestre. O GPS comercial, como o que aparece em celulares possui uma limitação que permite somente o uso urbano, com um sinal difícil de ser recebido em áreas mais afastadas. O GPS científico já possui uma conexão melhor com os satélites e podem localizar pontos em qualquer lugar, seja oceano ou floresta.

            Contudo, há falhas na operação que podem chatear as pessoas na hora de pedir um taxi ou uma entrega de comida, mas também podem causar imensos impactos negativos se ocorrer em uma aeronave ou em uma expedição militar, por exemplo. Justamente para corrigir essas falhas é que a NASA está desenvolvendo o projeto em parceria com o Brasil, para estudar melhor as “bolhas de plasma” que atrapalham os sinais de satélite e as ondas de rádio em áreas equatoriais.

            O uso de sinais de rádio para determinar a posição foi um avanço significante na navegação. O equipamento para navegação por rádio apareceu em 1912. Não era muito preciso, mas funcionou até que a II Grande Guerra permitisse o desenvolvimento do RADAR - Radio Detection And Ranging - e a capacidade de medir lapsos de tempo entre emissão/recepção de ondas de rádio. Para determinar a posição, mede-se o lapso de tempo dos sinais provenientes de locais conhecidos. Os sinais de rádio são emitidos de transmissores exatamente ao mesmo tempo e têm a mesma velocidade de propagação. Um receptor localizado entre os transmissores detecta qual sinal chega primeiro e o tempo até a chegada do segundo sinal. Se usarmos três transmissores, podemos obter uma posição em latitude e longitude. O GPS funciona baseado nos mesmos princípios. Os transmissores de rádio são substituídos por satélites que orbitam a Terra a 20.200 km e permitem conhecer a posição em três dimensões: latitude, longitude e altitude.

            A base da criação do atual GPS foi o projeto NAVSTAR, desenvolvido em 1960 pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Tal projeto resultou em um sistema capaz de oferecer diversas informações sobre qualquer parte do planeta, como localização e clima, a qualquer hora do dia, algo que era de extrema importância em eventuais conflitos militares ou operações de guerra. Após vários ajustes e correções, o projeto NAVSTAR finalmente se tornou totalmente operacional em 1995.

            Por piores que sejam algumas guerras acabaram originando diversos dispositivos de tecnologia que usamos hoje. O desenvolvimento militar da Guerra Fria ajudou a expandir os computadores, a internet e o GPS, sem os quais a economia mundial simplesmente não funciona e, para fazer referência ao tema deste texto, não se localiza com precisão.

#MeAjudeAMeEncontrar